“DIPLOMA DE VALORIZAÇÃO DAS ETNIAS” - 2019
01/07/2019 11:29 em Política

 

SESSÃO SOLENE PARA OUTORGA DO

“DIPLOMA DE VALORIZAÇÃO DAS ETNIAS” - 2019

25 DE JUNHO DE 201915 horas LOCAL: CÂMARA DE VEREADORES

 

A OUTORGA DOS DIPLOMAS DE VALORIZAÇÃO DAS ETNIAS, TEM O OBJETIVO DE RECONHECER E VALORIZAR OS DESCENDENTES DE ITALIANOS, ALEMÃES, POLONESES E PORTUGUESES, QUE COLONIZARAM O MUNICÍPIO E AQUI AINDA RESIDEM, TENDO CONTRIBUIDO PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOSSA TERRA. 

VEREADORES:

SR. VALÍRIO HAVERROTH – PRESIDENTE

SR. “DIOGO” ARNILDO FERRARI

Sr. GENTIL SIDOOSKI

Sra. JUDITE MOSER PISETTA

Sr. FRANCISCO JOÃO PISETTA

Sr. LEODAR CANI

Sr. ÓDILO VANDERLINDE

Sr. PAULO SPENGLER

Sr. VANDERLEI MOSER.

 

HOMENAGEADOS:

Sr. ANTÔNIO KNIESS

Sr. FRANCISCO BERKENCROCK

Sr. GREGÓRIO KNIESS

Sr. JOSÉ TURÍBIO MICHELS

Sr. LAURO PESSATTI

Sra. MARIA BERNADETE VOLPATO HEIDEMANN

Sr. ORLANDO KULKAMP

Sr. WALMOR GESSER

Sr. ZEMIRO FIAMONCINI

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 205/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR LEODAR CANI - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR ANTÔNIO KNIESS:

Antônio Kniess é natural de Rio do oeste, nasceu no dia 28 de julho de 1950, filho de Aluízio e Laura Rech Kniess; moravam na comunidade de Santa Luzia, seu Antônio teve uma infância sofrida, além das dificuldades da época, com 12 anos ficou órfão de mãe, apesar de pouca idade ele sabia que precisava ser forte, pois tinha que ajudar seu pai a cuidar de seus irmãos menores; já quando moço conheceu dona Irene Ellen e começou o namoro, casou e foram morar na comunidade São Jorge, onde trabalhavam como agricultores e na produção de leite, e produziam de tudo para sua subsistência. Seu Antônio com sua esposa Irene tiveram três filhos, Sonia e Sandra que moram no centro de Rio Do Oeste, e Alexandre que continua na agricultura seguindo os passos do pai, mas agora com ainda mais ênfase em produção de novilhas. Seu Antônio ainda na agricultura mas preocupado com a educação de seus filhos, fez que eles estudassem no colégio Alfredo Scottini na localidade de Toca I, pois era muito longe para vim a pé; então, em uma conversa com o então Prefeito da época, senhor Gentil Bertoli, explicou sua situação e entraram em um acordo, para que ele comprasse uma Kombi e fizesse o transporte na época e que o município arcasse com os custos do transporte; depois disso ele veio a trabalhar como funcionário público no transporte escolar por 14 anos e nunca se envolveu nem se quer com acidente, o qual sempre foi muito prestativo e cuidadoso; Seu Antônio sempre foi uma pessoa envolvida no SPC da comunidade; sempre prestativo, sempre envolvido nas atividades da igreja onde morava e ainda onde reside atualmente; É ministro da eucaristia desde seus 24 anos até hoje, aos entes queridos fazia sepultamento quando solicitado, função que fez com muito carinho. Senhor Antônio Kniess já mora a alguns anos na cidade e reside atualmente no Bairro Gabiroba, onde fez ótimas amizades e quase todos os dias sempre tem alguém para tomar um chimarrão, jogar cartas e tomar um bom café,  é um exemplo de pessoa, honesto, trabalhador, homem de família, ótimo pai, bom marido e excelente amigo, sempre disposto em ajudar o próximo, uma pessoa com ética que também tem outras virtudes; pessoas do seu bairro de sua comunidade e de toda cidade lhe desejam parabéns.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 206/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR VANDERLEI MOSER – OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR FRANCISCO BERKENBROCK

 Nasceu em 8 de setembro de 1947, na localidade de Toca Grande, Rio do Oeste. Filho de Edimundo Berkenbrock e Otilia Heidemann Berkenbrock, seus pais eram naturais de Tubarão e vieram para Rio do Oeste de carro de boi, logo após se casaram. Francisco tem dez irmãos entre eles dois já falecidos. Estudou até a 4ª série do ensino fundamental. Em sua juventude juntamente com seu pai fundador do Haiti futebol clube, sendo que a sede do primeiro campo foi no terreno da família. Casou-se em dois de maio de 1970 com Orlandina Berkenbrock e dessa união nasceram quatro filhos: Carlos, Roseli, Dirceu e Darcio. Tem seis netos. Na comunidade sempre foi muito ativo, atuou como presidente do Internacional Futebol Clube na comunidade de Toca Grande II por alguns anos, foi presidente da Escola Básica Santa Catarina, hoje Escola de Ensino Fundamental Alfredo Scottini e atualmente é presidente do grupo da terceira idade de Toca Grande, onde acontecem encontros mensais no salão da capela Santa Catarina com palestras e momentos de descontração. Sempre trabalhou na agricultura, enfrentou sérios problemas de saúde, chegando a ficar por meses acamado sem poder se mover, porém nunca perdeu a vontade de lutar, a bondade e a sua simplicidade são suas maiores qualidades. Seu Chico como é conhecido na comunidade está sempre pronto para ajudar quem dele precise, é um homem de muitos valores e sempre procurou passar esses valores para a sua família, sempre foi um exemplo de pai e amigo de todos os que o rodeiam.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 207/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR ODILO VANDERLINDE - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR GREGÓRIO KNIESS

 Gregório Kniess, nasceu em Rio das Corujas, Braço do Norte - Santa Catarina, no dia 12 de setembro de 1938. Filho de Fridolino Kniess e Elsa Rech Kniess cresceu em uma família de 7 irmãos, sendo 4 homens (dois falecidos) e 3 mulheres (todas falecidas), aos 4 anos de idade mudou-se para a comunidade de Ribeirão Macuco em Rio do Oeste, atual comunidade de Santa Luzia. Estudou até a 4º série do Ensino Fundamental, trabalhou na Agricultura durante toda infância e adolescência e aos 18 anos serviu o exército no Rio do Janeiro, onde ficou por um ano, vivência que marca até hoje as lembranças de Sr. Gregório Kniess. Em seu retorno à Rio do Oeste logo iniciou o namoro com Dona Maria Oderdenge, após 7 anos casaram-se, e foram morar na comunidade de Nova Esperança - Rio do Oeste, onde nasceu sua primeira filha Albertina Kniess. Em 25 de setembro 1968 mudou-se para o município de Itaiopolis – Santa Catarina e em 23 de agosto de 1969 retornaram para Rio do Oeste na localidade Serra dos Portugueses, hoje Serra São Jorge, onde nasceu seus outros 6 filhos, Amarildo, Hilda Rosimere, Ademir Nilton, Ademar Hilton, Maria Lucia e Lucio Gregório. Hoje o Senhor Gregório têm 10 netos, infelizmente um já falecido. Em 2017 comemorou ao lado de sua esposa Maria Oderdenge suas Bodas de Ouros, completando 50 Anos de Casamento, no dia da comemoração nasceu seu 9º neto (oliver Kniess). Em 2018, aos 79 anos retornou ao Rio do Janeiro e pela primeira vez viajou de avião, acompanhado por sua neta. Viagem está com muitas novas histórias para contar. Lealdade e trabalho sério sempre foram suas principais características, comprometido com o meio em que vive, sempre teve participação ativa na comunidade onde por inúmeras vezes fez parte da Diretoria e sempre está disposto a contribuir nas ações da comunidade. Católico e de muita fé freqüenta a igreja quase todas as semanas mesmo sendo o morador mais antigo da comunidade sempre participa de todos os eventos.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 208/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR FRANCISCO JOÃO PISETTA - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR JOSÉ TURÍBIO MICHELS

É filho de Turíbio e Madalena Michels, descendente de Alemão, nasceu em 19 de fevereiro de 1956 na localidade de Nova Esperança, Rio do Oeste. Tem nove irmãos, casado desde 1985 com Zenilda Luiz Michels, tem duas filhas, Daiane e Daniele, e uma neta, Isadora. Foi agricultor na propriedade de seu pai até ir trabalhar com Senhor Inácio Boni, em São José onde prestava serviço aos agricultores. Em 1990 mudou-se para a sede Rio do Oeste, onde exerceu cargo público na prefeitura como motorista fazendo o transporte escolar, onde permaneceu até a sua aposentadoria em junho de 2003 mesmo aposentado seguiu trabalhando como motorista escolar. Em 2014, José e sua esposa mudaram-se para a localidade de Toca Grande para cuidar de sua sogra que necessita de cuidados. Onde continua trabalhando como motorista de ônibus. Tendo o transporte escolar como profissão há quase 30 anos, se sente orgulhoso por poder todos os dias levar crianças e jovens para a escola. O trabalho que exige muita responsabilidade é feito com muita dedicação. Apesar de ter passado por dificuldades nas estradas devido às condições do tempo, sempre prezava pela segurança dos que transportava. Nos dias de hoje quando encontra os alunos que levou por anos para a escola, casados com filhos e com uma profissão, se sente honrado porque sabe que de alguma forma contribui para isso.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 209/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR “DIOGO” ARNILDO FERRARI - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR LAURO PESSATTI

Nascido em 25 de dezembro de 1944, em Rio do Oeste, filho de Vitória e Quirino Pessatti, dois dos seus nove filhos estudaram no grupo Expedicionário Mario Nardelli, até o Ensino Fundamental e depois aos 25 anos retomaram os estudos e completaram o Ensino Médio. Em 31/05/1975 casou-se com Edite Simas e continuou residindo em Rio do Oeste, só que no Bairro Gabiroba ,onde reside ate hoje. Tiveram 3 filhos, Jean, Raquel e Denise e um neto Ricardo. Iniciou uma vida como carpinteiro, trabalhando na construção da igreja matriz da cidade e na construção da barragem de Taió, entre outros. Em seguida retomou para casa e ganhou de seu pai, seu Quirino  a “Atafona” de Moinho de milho. Trabalhou como “tafoneiro” de 1970 a 2004, onde foi interrompido por um AVC, na qual lhe deixou impossibilitado de trabalhar. Durante estes 34 anos de “tafoneiro” foi muito prestativo e trabalhador, sempre procurando ajudar e ser honesto com seus clientes; nesta ocasião fez muito amigos, tanto do centro quanto do interior. Nas horas de lazer participava da câmara Junior e do Rotary clube de Rio Do Oeste, com isso fez muitos amigos que permaneceram até hoje. Também foi radio amador por muitos anos e nos dias de hoje ainda possui todos equipamentos e participa das conversas. Por muitos anos também trabalhou voluntariamente na direção da igreja da Gabiroba, organizando a festa da Nossa Senhora Auxiliadora e São Cristóvão, como também auxiliava na comunicação, através do radio amador,nas enchentes de Rio Do Oeste ,com seu amigo Gilmar Sofiati. Pra finalizar, teve uma vida batalhadora ao lado de sua esposa e filhos. E hoje aos 74 anos pode-se considerar um vencedor, pois nunca desistiu de seus objetivos e principalmente depois de dois AVCs não desistiu de viver, se recuperando a cada dia de suas dificuldades, foi com muita fé no coração lutando a cada dia.

- DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 210/2019 DE AUTORIA DA VEREADORA JUDITE MOSER PISETTA - OUTORGA DIPLOMA À SENHORA MARIA BERNADETE VOLPATO HEIDEMANN

 Maria Bernadete Volpato Heidemann, por todos conhecida como Deti, nasceu em 03 de novembro de 1953, primeira filha de Francisco e Delma Volpato. Passou sua infância na comunidade de Canoa Quebrada, ajudando na criação dos irmãos. Mesmo com poucas condições, seu pai,  Francisco sempre incentivou os filhos a estudar e Deti cursou o ginásio e no magistério no colégio Pio XII. Ela sempre conta que todo dia seu Quinho a cruzava de batera pelo Rio para ela poder ir estudar, a incentivando a buscar o conhecimento. No ano de conclusão do curso de magistério, já começou na vida de docente, sendo sua primeira turma em 1972, na Escola isolada de Ribeirão Pisetta, onde na época se lecionava para todas as series inicias juntas, além de ser merendeira e faxineira da escola. Foi nessa mesma época que encontrou seu marido Ademar, e em junho de 1975 casaram-se. Juntos iniciaram a família e em 1976 nasceu seu primeiro filho Jean. Em 1979 veio o filho do meio, Jonas. No ano de 1985 foi aprovada no concurso do Estado de Santa Catarina, e foi secretária da Escola Mario Nardelli. Em 1987 voltou para a sala de aula, dessa vez na escola isolada de cabeça D’Anta, aonde com seu fusca, ia diariamente para a comunidade, e tem até hoje consigo grandes amizades, histórias e um carinho muito grande da comunidade. Em 1989 teve sua última filha, Monica.  Ficou na escola até 1990, quando foi convidada a fazer parte da Secretária de Educação. E foi ali que pode usar de toda a sua capacidade, sua criatividade, disponibilidade, alegria e responsabilidade.  Na época o município contava com 31 escolas multiserriadas, e ela tinha função de, junto com as colegas de trabalho, organizar as escolas, cuidar dos eventos escolares, distribuir merendas, coordenar as atividades pedagógicas, cuidar da documentação escolar, as festividades. Durante sua passagem pela secretaria de Educação foi responsável pela criação e instalação do Conselho Tutelar e do Conselho Municipal de Educação. Aposentou-se em 1997, mas não parou. Como estava no sangue, após se aposentar foi para o ramo do comercio, à frente do Mercado do Povo. Após, foi trabalhar com seus pais, para ajudar na loja Dona Delma, e ficou com eles até a enchente de 2011. Sempre amou os trabalhos sociais, e tem no Clube de Mães de Rio do Oeste seu maior legado, já foi presidente por diversas vezes, e sempre esta à frente das ações e buscando aplicar a causa social com carinho e responsabilidade. Hoje está aposentada, com a família toda perto dela, seu marido, seus 3 filhos, 2 noras, um genro e suas netas Thaissa e Luiza. Se você pedir uma qualidade da Deti para alguém, muitas destacarão sua arte em crochê, seu auxilio aos necessitados, sua disponibilidade, seu amor pelas flores, mas segundo seus filhos, pode-se resumir ela assim: tem um coração enorme, ama suas netas, é uma artista e a melhor cozinheira do mundo.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 211/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR GENTIL SIDOOSKI - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR ORLANDO KULKAMP

 Nasceu no dia 26 de março 1953, na cidade de Rio do Oeste, na localidade de Cabeça D’anta, filho de Erico Kulkamp e Hilda Heidemann Kulkmp, estudou até o quarto ano primário na escola de Cabeça D’anta; tem 14 irmãos: Ademar, Arlindo, Terezinha, Maria, Renato, Inês, Ana, Lorena, Janete, Helena (in memoriam), Juliana, Adriano, João e Airton; casou com Cecilia Shimitz Kulmamp em 12 e abril de 1975; com quem tem cinco filhos: Vanderlei, Luzia (deficiente), Tiago (in memoriam) Vanessa e Carina; tem dois netos, Isabela e Miguel. Orlando fez parte por 6 anos da diretoria do Clube Sertãozinho de Cabeça D’anta, desde de 1981 é ministro extraordinário da Sagrada Comunhão, foi assistente de matrimonio por 12 anos, ministro de batismo; foi 10 vezes Campeão Municipal de futebol de campo, Campeão do primeiro turno da liga rio-sulense pelo Sertãozinho; é voluntário da comunidade desde pequeno, quando seu pai era Presidente do Sertãozinho e Presidente da Igreja e ajudava como podia; trabalhou na agricultura, no fumo, no leite e na mandioca, sempre foi voluntário nas festas da comunidade, trabalhando no caixa, ajudou fazer o salão  e igreja da localidade, Orlando é um exemplo de força e trabalho, sendo merecedor de receber essa homenagem.

 

- DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 212/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR VALÍRIO HAVERROTH - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR WALMOR GESSER

 Walmor Gesser, filho de Pedro e Madalena Petres Gesser, nasceu em 09 de agosto 1934, na localidade São Martinho, cidade de Aurora, aos 12 anos veio morar com seus pais em Rio do Oeste na localidade de Sumidor, onde residiu por aproximadamente 8 anos. Aos 20 anos de idade casou-se com Almerinda Rech Gesser, 2 anos de casados teve que retornar para sua cidade natal “Aurora” , por motivos de doença de seu pai que dois anos depois veio a falecer. Walmor e sua esposa retornaram novamente para a localidade de Sumidor, onde fizeram varias atividades, como engenho de farinha e cana, depois trabalharam na madeireira do Waltra Propis, sua família foi crescendo, Walmor adquiriu terra com muita luta e sacrifício, para dar conta de tudo, pois já tinham 8 filhos e a esposa para sustentar, alguns anos depois comprou mais terra na localidade Anta Gorda, local que reside ate hoje; Walmor sempre foi uma pessoa de muita fé e trabalhadora e sempre fez o bem para comunidade, para os amigos, para sua família. Hoje aos 84 anos, viúvo há 5 meses, tem 8 filhos, um deles em memória há 8 anos, têm 19 netos, 7 bisnetos; ele sabe que todos seus amigos, seus filhos, netos, bisnetos e suas noras amam de paixão e torcem pela sua felicidade, nossa família agradece de coração pelo fato de você existir Walmor Gesser, por fazer até hoje parte de nossas vidas.

 - DECRETO LEGISLATIVO NÚMERO 213/2019 DE AUTORIA DO VEREADOR PAULO SPENGLER - OUTORGA DIPLOMA AO SENHOR ZEMIRO FIAMONCINI

Zemiro Fiamoncini, nascido no dia 04/04/1943, na localidade de Toca Grande I, Rio do Oeste, Santa Catarina, filho de Giozeppe Fiamoncini e Ida Dalpiaz Fiamoncini sendo o filho mais velho, numa família de dez irmãos, estudou na escola de Santa Catarina até a 4ª série, sendo ele o mais velho era quem ajudava a cuidar dos irmãos. Ainda jovem conheceu Ana Maria Scottini com quem se casou no dia 15 de julho 1967 e tiveram dois filhos: Terezinha Maria Fiamoncini Negherbon e Rosane Fiamoncini Adami; tem cinco netos; foi agricultor e pedreiro; até hoje contribui muito pela comunidade que ainda mora, que é a comunidade de Nossa Senhora das Dores, Toca Grande II; Zemiro é um homem trabalhador, corajoso e muito prestativo e de muita fé, sendo ele viúvo por ter perdido sua esposa há nove anos. A partir dai dedicou-se mais ainda a sua família; diz ele: a família em primeiro lugar. Ele é muito estimado por todos da sua comunidade e principalmente por seus netos, filhos e genros. Parabéns você merece ser homenageado.

 

                                   OUTORGA DO TÍTULO DE CIDADÃO RIOESTENSE

 O TÍTULO DE CIDADÃO RIOESTENSE É CONCEDIDO A PESSOAS NÃO-NASCIDAS EM NOSSA CIDADE, EM VIRTUDE DA NOTÁVEL CONTRIBUIÇÃO A ESTA COMUNIDADE E COMO DEMONSTRAÇÃO DE ACOLHIDA E RECONHECIMENTO DO POVO DE RIO DO OESTE.

 

                                                                    FREI DARCI ROBERTO CATAFESTA

 Fr. Darci Roberto Catafesta nasceu aos 3 de abril de 1958, na cidade de Céu Azul- Paraná. Seus pais, Ricieri Catafesta e Aurélia Menegon. Foi batizado no dia 04.04.1958 e crismado aos 24.02.1962. Recebeu a Primeira Eucaristia em 23.10.1966 das mãos de Fr. Dionísio Galvan. Ingressou no Seminário Frei Ricardo de Vescovana, em Céu Azul, aos 27.02.1971, sendo diretor Fr. Miguel Rodakoski. Recebeu o hábito capuchinho aos 10.02.1978, na Paróquia N.Sra das Mercês, em Curitiba-PR, sendo mestre Fr. João Daniel Lovato. Emitiu os Votos Temporários aos 11.02.1979, na mesma Paróquia e os Votos Perpétuos aos 16.10.1983, na Paróquia Bom Jesus, em Ponta Grossa- PR. Recebeu os Ministérios de Leitor e Acólito, em 01.10.1981. Foi ordenado Diácono, aos 05.02.1984, por Dom Geraldo Micheletto Pellanda, Bispo Diocesano da cidade de Ponta Grossa. Dom Olívio Aurélio Fazza, Bispo de Foz do Iguaçu, ordenou-o Sacerdote, aos 28.07.1984, na Matriz de Céu Azul, sua terra natal e, no dia seguinte, celebrou a Primeira Missa no mesmo local.  Residências: Fr. Darci residiu e trabalhou nos seguintes lugares: Ponta Grossa, na Paróquia Imaculada Conceição, de 1984 a 1991; Butiatuba, no Convento e Casa de Retiros S. Antônio, em 1992 e 1993; Curitiba, na Cúria Provincial, de 1994 a 1996; Almirante Tamandaré, de 1997 a 2005; Curitiba, Convento N. Sra. das Mercês, de 2006 a 2011; São Lourenço do Oeste-SC, em 2012; Siqueira Campos-PR, em 2013 e 2014; desde 2015, exerce as funções de Pároco, na Paróquia N.Sra. da Consolata, em Rio Do Oeste-SC. Fr. Darci prestou relevantes serviços à Província São Lourenço de Brindes, do Paraná e Santa Catarina. Foi Missionário Popular, Professor, Ecônomo local e provincial, Guardião, Vigário local e paroquial, Pároco, Formador, Assistente da OFS, Gerente das Rádios AM e FM de Siqueira Campos, Reitor do Santuário Bom Jesus da Cana Verde, Conselheiro Provincial, Vigário Provincial, Secretário da Formação Permanente, Presidente do Conselho de Ordens. Está com 61 anos de idade, 40 anos de Vida Religiosa e, em 28 de julho próximo, completará 35 anos de Vida Sacerdotal.

 

 

 

COMENTÁRIOS