Rio do Oeste - Prefeitura incentiva instalação de uma empresa inovadora de carvão vegetal sustentável.
14/12/2018 09:14 em Política

Prefeitura incentiva instalação de uma empresa inovadora de carvão vegetal sustentável.

Trabalho operacional deve iniciar em janeiro de 2020.

O empresário Claudio Euclides de Oliveira foi recebido no gabinete pelo prefeito de Rio do Oeste, Humberto Pessatti, e seus secretários, na primeira semana de dezembro. Durante a reunião, foi assinado um contrato que defini detalhes quanto a destinação de um terreno pertencente ao município para a instalação de uma fábrica produtora de carvão vegetal. “No contrato há uma série de itens a serem respeitados pelo empresário, destacando que por um período de dez anos o terreno fica vinculado à prefeitura. Depois desse período, havendo total cumprimento daquilo que há no contrato, o imóvel é oficialmente doado”, explica Pessatti.

São 25 mil metros quadrados de área, a margem da estrada geral da localidade de Canoa Quebrada, distante cerca de um quilômetro e meio do Centro da cidade. A prefeitura se compromete também a disponibilizar maquinários para obra de infraestrutura. A previsão é de que a empresa comece a operar em janeiro de 2020. “Inicialmente, vou trabalhar com uma estrutura pequena. Mas, pensando na ampliação das atividades no futuro, já adquiri outros 30 mil metros quadrados ao lado desse terreno disponibilizado pelo município”, observa Oliveira.

A matéria prima utilizada para a produção do carvão será o eucalipto. A madeira é transportada com caminhões até os reatores, passa por todo um processo de secagem, queima e resfriamento, estando o carvão pronto para ser embalado 72 horas depois.  “Trabalho com gestão de empresa há 40 anos e uma das atividades praticadas é o fornecimento de lenha para o funcionamento das caldeiras industriais na região. E assim como outros agricultores, há mais de 20 anos possuo áreas com plantio de eucalipto. Como a oferta cresceu mais do que a demanda decidi inovar, destinando boa parte dessa madeira que acaba sobrando para a produção sustentável do carvão”, justifica o empresário.

São mais de dois anos de pesquisa e planejamento, resultando em um projeto totalmente inovador para Santa Catarina. Os principais benefícios serão sociais, econômicos e ambientais.  

 

COMENTÁRIOS